Olá, é um prazer ter sua companhia !

"Brincar com crianças não é perder tempo, é ganhá-lo; se é triste ver meninos sem escola, mais triste ainda é vê-los sentados enfileirados em salas sem ar, com exercícios estéreis, sem valor para a formação do homem."

( Carlos Drummond de Andrade )


quarta-feira, 11 de março de 2009

Quer conhecer o Sítio do Picapau Amarelo?

Dona Benta é avó de Pedrinho e Narizinho, que são primos; eles vivem as mais estranhas aventuras com os amigos Emília, uma boneca de pano, que fala pelos cotovelos (ela fala pela boca mesmo, mas essa é uma maneira de dizer que alguém é tagarela) e tem uma porção de idéias malucas, e Visconde de Sabugosa, um sabugo de milho com mania de ser cientista. Tia Anastácia é a cozinheira do Sítio, e acaba participando das traquinagens dos meninos. Uma vez, por exemplo, eles foram parar na lua e ela fritou bolinhos para o dragão de São Jorge (que mora na Lua).

A Cuca é a bruxa má que mora numa caverna perto do Sítio, e faz de tudo para acabar com a alegria da turma.

E tem mais: o Marquês de Rabicó, um porquinho, o rinoceronte Quindim que fugiu do circo e muitos outros, que você pode conhecer lendo as histórias do sítio.

A música tema da história na tv foi trabalhada em sala de aula com as crianças. Através dela, tiveram a oportunidade de ler a letra, destacar palvras, dançar e cantar. Foram momentos lúdicos e prazerosos.

Marmelada de banana, bananada de goiaba
Goiabada de marmelo
Sítio do Pica-Pau amarelo
Sítio do Pica-Pau amarelo
Boneca de pano é gente, sabugo de milho é gente
O sol nascente é tão belo
Sítio do Pica-Pau amarelo
Sítio do Pica-Pau amarelo
Rios de prata, pirata
Vôo sideral na mata, universo paralelo
Sítio do Pica-Pau amarelo
Sítio do Pica-Pau amarelo
No país da fantasia, num estado de euforia
Cidade polichinelo
Sítio do Pica-Pau amarelo.

GILBERTO GIL

Blog alunos Cic Damas*

Monteiro Lobato Sempre...





Suas obras

"Não vejo razão para não continuar considerando Monteiro Lobato como uma das muitas lendas maravilhosas inventadas por ele próprio. A lenda dum homem dinâmico num país apático; de um homem vivo num povo cuja maior parte está semimorta porque tem sido abandonada, porque vegeta subalimentada, sem escolas, sem hospitais, sem nada; dum homem de espírito a bradar revoltado em meio da mediocridade ou da indiferença." Érico Veríssimo

– Urupês
– Cidades mortas
– Negrinha
– Idéias de Jeca Tatu
– A onda verde e O presidente negro
– Na antevéspera
– O escândalo do petróleo e Ferro
– Mr. Slang e o Brasil e Problema vital
– América
– Mundo da lua e Miscelânea
– A barca de Gleyre (1º tomo)
– A barca de Gleyre (2º tomo)

Lançamentos posteriores da obra adulta pela Editora Brasiliense

– Literatura do Minarete

– Conferências, artigos e crônicas
– Cartas escolhidas (1º tomo)
– Cartas escolhidas (2º tomo)
– Críticas e outras notas

- Cartas de amor


Ruth Rocha faz parte da Academia Paulista de Letras.


VEJA SEU DISCURSO DE ENTRONIZAÇÃO NA LISTA DOSSO VÍDEOS AO LADO.

Linha do Tempo


1931-1974: Do nascimento às primeiras histórias









1931 – Nasce Ruth Rocha.
1952 – Forma-se bacharel em Ciências Políticas e Sociais pela USP.
1956 – Começa a trabalhar no Colégio Rio Branco como Orientadora Educacional, onde permanece na função até 1972. Casa-se com o empresário Eduardo Rocha.







1962 – Nasce sua única filha, Mariana, que mais tarde lhe daria dois netos, Pedro e Miguel.

1968 – Começa a escrever para a Revista Cláudia textos sobre educação.
1969 – Obtém licenciatura em Ciências Sociais, na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Santos, participa da criação da Revista Recreio (Ed. Abril) e lança sua primeira história, Romeu e Julieta – A borboleta, uma adaptação do clássico de William Shakespeare. Na Editora Abril chegou a ser redatora, editora e diretora da Divisão de Infanto-Juvenis.


1970 – Faz pós-graduação em Orientação Educacional, na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da PUC/SP.
1974 – Especializa-se em Editoração na Western Publishing Co., nos EUA.
Ruth Rocha em foto de arquivo pessoal
1976-1991: De Marcelo aos rabos presos

1976 – Escreve Marcelo marmelo martelo, um grande sucesso que ultrapassou a barreira de 1 milhão de cópias vendidas.
1978 – Escreve seu primeiro livro O Reizinho mandão. Até então as histórias eram lançadas nas bancas de jornal, encartadas na Revista Recreio.

1980 – Recebe o prêmio do Jornal Auxiliar pelo livro O Rei que não sabia de nada.
1981 – Com o livro O que os olhos não vêem recebe o Prêmio Ofélia Fontes, concedido pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil, e ganha o prêmio de Melhor Autor Infantil pela Associação Paulista de Críticos de Arte. Mais um livro, Davi ataca outra vez, e uma nova premiação, o Prêmio João de Barro, concedido pela Prefeitura de Belo Horizonte (MG). Criação da Biblioteca Ruth Rocha, na EMPG Paulo Duarte, em São Paulo (SP).
1983 – É nomeada diretora da União Brasileira de Escritores, cargo que ocupa até 1987.
1984 – Recebe o Prêmio Abril de Jornalismo pelo livro Alvinho e o Cachorro Venceslau. Funda em sociedade a Quinteto Editorial.
1987 – Aceita o convite para ser editora-executiva da Editora Universo e lançou a Grande Enciclopédia Larousse Cultural (120 fascículos em oito volumes).
1990 – Torna-se Membro do Conselho Consultivo da Fundação Abrinq pelos Direitos da Criança, onde permanece até 1995. Ganha o Prêmio Jabuti de Literatura Infantil pelo livro Uma história de rabos presos.
1991 – Criação da Biblioteca Ruth Rocha em Barra Mansa (RJ). Torna-se comentarista do programa Gazeta Meio-Dia pela TV Gazeta, em São Paulo, e foi integrante fixa do programa até 1995.
1992 até os dias atuais: Mais crianças, livros, pássaros e até o Ziraldo
1992 – Lança, em co-autoria com Otávio Roth, a coleção O Homem e a Comunicação e por tal projeto ganha o Prêmio Monteiro Lobato, concedido pela Academia Brasileira de Letras, e o Prêmio Malba Tahan de Melhor Livro Informativo, concedido pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil.
1993 – A coleção O Homem e a Comunicação ganha mais prestígio e recebe os prêmios Jabuti de Melhor Produção Editorial, Obra, Coleção e Melhor Produção Editorial Infantil e/ou Juvenil.
1994 – Publicação de um catálogo comemorativo pelo 25o aniversário de sua carreira literária no Rio de Janeiro.
1998 – Recebe pelas mãos do então Presidente Fernando Henrique Cardoso a Comenda da Ordem do Mérito Cultural do Ministério da Cultura.
1999 – Ruth Rocha é chamada pelos músicos e produtores Paulo Tatit e Sandra Peres (Palavra Cantada) para narrar sete histórias no CD/livro Mil pássaros.
2001 – É homenageada pela Academia Brasileira de Letras com o Prêmio de Literatura Infantil.
2001 pela adaptação da Odisséia.
2002 - Ganha o prêmio Moinho Santista de Literatura Infantil, da Fundação Bunge. No mesmo ano foi escolhida como membro do PEN CLUB (Associação Mundial de Escritores no Rio de Janeiro).
2005 – Como parte das comemorações de 25 anos da publicação de O menino maluquinho, o desenhista e escritor Ziraldo chama Ruth Rocha para uma parceria inédita e o resultado é o livro "Um cantinho só pra mim".

vídeo - Leilão de Jardim - Cecília Meireles

Que legal!

No laboratório de informática tivemos a oportunidade de assistir ao vídeo Leilão de jardim.

Assista você também!

video

Sugestão do Blog da Solange

ilustrações dos poemas de Cecília Meireles e de Elias José.
Confira!!!!!














Cecília Meireles......

Sonhos da Menina


A flor com que a menina sonha
está no sonho?
ou na fronha?

Sonho
risonho:

O vento sozinho
no seu carrinho.

De que tamanho
seria o rebanho?

A vizinha
apanha
a sombrinha
de teia de aranha . . .

Na lua há um ninho
de passarinho.

A lua com que a menina sonha
é o linho do sonho
ou a lua da fronha?


* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Alfabeto - Bichinho Poema



Blog Poesias para crianças

O GATO - Vinícius de Moraes*

O Gato

Com um lindo salto

Lesto e seguro

O gato passa

Do chão ao muro

Logo mudando

De opinião

Passa de novo

Do muro ao chão

E pega corre

Bem de mansinho

Atrás de um pobre

De um passarinho

Súbito pára

Como assombrado

Depois dispara

Pula de lado

E quando tudo

Se lhe fatiga

Toma o seu banho

Passando a língua

Pela barriga.

Blog Poesias para crianças*

O LEÃO - VINÍCIUS DE MORAES


Leão! Leão! Leão!


Rugindo como um trovão

Deu um pulo, e era uma vez

Um cabritinho montês.

Leão! Leão! Leão!

És o rei da criação!

Tua goela é uma fornalha

Teu salto, uma labareda

Tua garra, uma navalha

Cortando a presa na queda.

Leão longe, leão perto

Nas areias do deserto.

Leão alto, sobranceiro

Junto do despenhadeiro.

Leão na caça diurna

Saindo a correr da furna.

Leão! Leão! Leão!

Foi Deus que te fez ou não?

O salto do tigre é rápido

Como o raio; mas não há

Tigre no mundo que escape

Do salto que o Leão dá.

Não conheço quem defronte

O feroz rinoceronte.

Pois bem, se ele vê o Leão

Foge como um furacão.

Leão se esgueirando, à espera

Da passagem de outra fera . . .

Vem o tigre; como um dardo

Cai-lhe em cima o leopardo

E enquanto brigam, tranqüilo

O leão fica olhando aquilo.

Quando se cansam, o Leão

Mata um com cada mão.

Leão! Leão! Leão!

És o rei da criação!

Blog Poesias para cças

Parlenda .....Lagarto Pintado

Blog Poesias para cças

Chatice Jose Paulo Paes

Jacaré,

larga do meu pé

deixa de ser chato!

Se você tem fome,

então vê se come

só o meu sapato,

e larga do meu pé,

e volta pro seu mato,jacaré.

Blog Poesias para Crianças

Caracol História

By Blog Poesias para crianças

POESIAS.........

Poesia - José Paulo Paes

Poesia
é brincar com palavras
como se brinca
com bola, papagaio, pião

Só que
bola,papagaio,pião
de tanto brincar
se gastam.

As palavras não:
quanto mais se brinca
com elas
mais novas ficam.

Como a água do rio
que é água sempre nova.

Como cada dia
que é sempre um novo dia.

Vamos brincar de poesia?